Playlist para um dia feliz

música-para-dias-felizes

Dias felizes são aqueles que a gente tem que aproveitar com todas as nossas forças e torcer para não acabar. Ou podemos nos reinventar e mesmo que tudo não esteja como a gente gostaria, damos um jeito do dia ficar bem. Difícil? Acho que é mais um exercício! Pois mesmo que tudo não esteja como gostaríamos, tenho certeza que ainda há coisas que te fazem feliz e são elas que devem nos motivar. Então para aqueles dias super felizes ou para aqueles dias que você está precisando de uma motivação, eu fiz uma playlist. Afinal, música funciona como um remédio é? E um excelente remédio!

Em: 22/04/2014
Postado por: Franciele
  

A convivência com os pais

pais

Cada pessoa que decide ir morar sozinha possuí os seus motivos. Talvez uma proposta de trabalho em outra cidade, uma faculdade ou por sentir que aquele era o seu momento mesmo. São fases da vida, e por mais que tudo esteja bem na casa dos seus pais, a vontade de ter o seu próprio espaço pode aparecer mais cedo ou mais tarde.

Principalmente na adolescência nós sentimos essa vontade mais acelerada. Sair da casa dos nossos pais e se aventurar no mundo do “já sou grandinha para cuidar de mim” parece uma ótima ideia. E esse é um assunto que eu vejo todos os dias sendo questionado na minha caixa de e-mail e senti que era a hora de me pronunciar, já que faz tempo que eu não consigo responder e-mail por e-mail.

É errado querer sair de casa com 18 anos ou qualquer outra idade? Não! Eu mesma fui morar sozinha com 18 anos e tenho total consciência de que foi bem cedo. O que nós devemos pensar é por qual motivo estamos querendo tomar essa decisão. Acredite, nessa idade somos muito imaturas e ainda temos muito que aprender. Eu com 18 anos já tinha uma profissão (pois fiz curso técnico), tinha um emprego em tempo integral, tinha acabado de entrar na faculdade de engenharia e decidi sair de casa por contra própria, sem ajuda nenhuma dos meus pais. Eu sabia que era grande aquela responsabilidade, mas decidi encarar. Só que repetindo, nessa idade nós somos muito imaturas.

Eu não estou batendo na tecla que 18 anos é a idade certa ou não. Tudo depende só de você. Conheço meninas de 18 anos que são muito mais maduras que mulheres de 30! Acredite, é verdade. Só que nessa época também estamos descobrindo coisas que fazem parte da descoberta da idade. E de cara a primeira coisa que sempre queremos conquistar é a nossa tão sonhada liberdade, mas liberdade vem com um preço. E é nessa hora que o fight com os pais se inicia. Seus pais acham que é muito cedo para você sair com uma amiga para a balada, seus pais acham que aquele namoro não seja bom para você e seus pais acham que você ainda é um bebê e precisa viver dentro de um casulo, e morar sozinha é uma ideia fora de cogitação. Relaxa, eu te entendo. Só que vamos deixar de pensar só em nós por um minuto e vamos tentar olhar pelo lado deles também. Eu vou dar como exemplo a minha mãe, que vê qualquer notícia trágica na televisão e logo pensa que aquilo pode acontecer comigo também. Exagero? Acho que não. Para mim isso se enquadra mais como amor e consequentemente um sentimento extremo de proteção, que acho que só quando tivermos o nossos filhos vamos entender. Talvez os seus pais te tratem de uma maneira que você pode discordar de mim e duvidar que aquilo é amor. Mais vai por mim, cada um tem o seu jeito de expressar o seu amor.

Eu sou de uma família meio desbalanceada, mas que no final balanceia tudo. Minha mãe sempre foi dessas super protetora, barrava minhas saídas com as amigas e queria me manter dentro de um casulo. Já o meu pai sempre foi mais liberal, mas de uma forma saudável. Ele sempre me deu liberdade para que eu pudesse fazer qualquer coisa, porém ele sempre colocava meus pés no chão para a realidade. E isso é bom, pois sempre fui muito sincera com ele e sempre procurava os conselhos dele antes de tomar qualquer decisão. Para vocês terem noção, quando eu fui conversar com ele que queria morar sozinha ele só me disse assim: “Você tem dinheiro?”. Pois ele sabia que eu era responsável o suficiente para encarar aquilo, porém eu teria que encarar sozinha, ele não poderia me ajudar. E me “chamando para a realidade” ele abriu os meus olhos de que morar sozinha não é só ter liberdade, morar mais perto do trabalho e da faculdade e que seria bom para mim. Mas também era ter contas e o aluguel para pagar mês após mês.

Hoje eu entendo como a criação dada pela minha família foi importante para eu me tornar quem eu sou hoje. Minha mãe vetou algumas saídas, mas também me ensinou a ser responsável e não confiar em qualquer pessoa. Meu pai me deu asas, mas junto com elas também veio o amadurecimento. E por isso eu digo que eles são uma balança desigual, mas que no final balanceou tudo.

É difícil entender a cabeça dos nossos pais? Vish, e como. Eles já passaram por todos os dramas que nós ainda estamos vivendo, e talvez por já terem descoberto que se você seguir por tal caminho você pode quebrar a cara, eles tentam nos poupar dizendo NÃO repetidamente. Na adolescência isso nos gera uma revolta grande e nós logo queremos a nossa liberdade. Mas acredite, o preço da liberdade é muito mais alto do que ter que aguentar alguns “nãos” dos seus pais.

Pode parecer fácil dizer tudo isso, mas vocês estão lendo palavras de uma garota que já passou por essa fase e sobreviveu. Se hoje eu pudesse dar um conselho para a Fran da adolescência, com certeza seria: “Tenha mais paciência, pois tudo que acontece hoje irá te transformar no futuro”.

Em: 22/04/2014
Postado por: Franciele
  

Presente das leitoras!

presente das leitoras

Para começar a semana de forma muito especial, juntei todas as cartinhas e presentes que eu recebi nas últimas semanas na minha caixa postal, e gravei um vídeo para agradecer e mandar um beijo para essas leitoras lindas que fazem o meu dia mais feliz <3

Em: 21/04/2014
Postado por: Franciele