12 Em Carreira

Ser pontual no trabalho pode ser mais importante do que você imagina!

Hoje quero te contar um fato curioso que aconteceu no escritório onde eu trabalhei por alguns anos.

Na setor administrativo, estava rolando um burburinho de que haveria um cargo disponível em breve, pois a pessoa que ocupava esse cargo até então, estava se aposentando. Ou seja, era a oportunidade do momento, pois era “O CARGO”.

Pontual no trabalho

Me recordo bem de quando esse assunto surgiu. Algumas pessoas, até aquelas que viviam esticando a hora do cafezinho de 15 minutos para 30 minutos, mudaram. Você chegava no escritório e estava todo mundo concentrado e focado.

Todos estavam cobiçando o tal cargo.

Eu amava trabalhar nessa empresa, me sentia dentro de um filme. Sempre haviam reuniões naquelas salas executivas bonitas e com gente importante. Todo mundo se preocupava em ir bem vestido e sempre recepcionávamos pessoas de outros países.

Foi nesse lugar que eu aprendi muito sobre como fazer a minha carreira ser valiosa diante dos olhos de quem vai me contratar.

E foi justamente isso que aconteceu com a pessoa que ganhou o cargo mais cobiçado do setor administrativo…

E não, não foi eu! Eu nem era do setor administrativo, era da área de projetos. E a história fica boa agora…

Havia um rapaz muito simpático trabalhando lá também. Ele era realmente esforçado, dava pra ver.

Eu sempre o via sendo um dos primeiros a chegar e quase um dos últimos a sair. Eu também via que ele andava sempre em dia com o seu trabalho e por ter essa vantagem, ele também ajudava seus colegas que viviam enrolados. Ou seja, ele aprendia coisas que nem eram da sua função e às vezes, eram funções de cargos bem abaixo ao dele.

Todo mundo estava apostando que o cargo ia para uma tal moça que falava 4 idiomas e tinha vários cursos importantes no currículo.

Mas todos se enganaram.

Sim, o cargo foi para o rapaz que sempre chegava antes do horário e ajudava seus colegas. E o meu chefe, que havia participado da reunião onde decidiriam quem ia ser promovido, me contou que a pessoa ideal para aquele cargo (extremamente de confiança), era uma pessoa que tivesse comprometimento, fosse pontual (e você pudesse contar) e que sabia trabalhar em equipe, não apenas quem tinha as melhores qualificações.

Isso me fez pensar, naquela época, sobre qual tipo de profissional eu queria ser.


Será que eu passava a sensação de compromisso e as pessoas sabiam que podiam contar comigo? Será que se surgisse uma oportunidade eu seria a primeira a ser destacada na mente do meu chefe?


Se você hoje está lutando para construir a sua carreira, saiba que todas as suas ações antecedem as suas qualificações.

Ser pontual, se vestir bem e se esforçar, diz muito mais sobre qual tipo de profissional você é, mais até do que seus diplomas e suas qualificações.

Eu sei que nem todos os empregos são iguais. Às vezes, quem será promovido é aquela pessoa que só enrola, mas adora puxar o saco do chefe. Ok, isso existe… Mas você não pode se basear nisso para construir a sua carreira. Você tem que se basear em que tipo de profissional você quer ser, não medir o seu trabalho pelo local ou pelas as pessoas com quem você trabalha.

“Se fulano não faz, eu é que não vou fazer…”

Quando as pessoas do seu trabalho pensam em você, o que será que elas tem em mente? Que você está sempre com boa aparência ou que você chega para trabalhar do jeito que dá? Que você chega sempre no horário ou que você é uma pessoa que falta o expediente? Você é uma pessoa que sempre faz mais do que te pedem ou uma pessoa que só reclama “pois não é a sua função”?

Pense com carinho sobre essas questões. Reconhecer as áreas em que estamos errando e se empenhar para mudar, é uma das atitudes mais nobres que um ser humano pode ter. Isso mostra humildade!

E a humildade vai te levar longe, pois com ela você nunca vai deixar de aprender. Já a arrogância, nem preciso dizer…

Receba os conteúdos exclusivos
do Morando Sozinha no seu e-mail

Prometemos manter seu e-mail seguro, odiamos spam.

Você também pode gostar

12 Comentários

  • Resposta
    Amanda
    30/09/2016 em 07:22

    Acho seu blog extremamente incrível!!! Eu nunca gostei de me atrasar para a aula e para o trabalho, assim como faltar. Acho extremamente importante mantermos a pontualidade, até mesmo em uma saída com os amigos

  • Resposta
    Felipe Souza
    28/09/2016 em 13:22

    Olá Fran, muito bom o seu post, compartilho da mesma ideia, porém vivi uma situação relacionada ao assunto do post, só que de forma controversa. Trabalho no setor tributário de uma industria aqui da minha cidade já faz uns dois anos, aqui sou assistente júnior, ainda não sou formado, iniciei a faculdade de Ciências Contábeis este ano. Pois bem, iniciei meu trabalho sem saber muita coisa, mas em pouco tempo atingi o nível de conhecimento de parte da equipe. Me esforcei para aprender tudo que fosse possível, ajudava meus colegas no que precisassem, fiz muitas horas extras sempre que a empresa precisava, evolui muito como profissional. Fazia as funções de um analista, porém com cargo e salário de um assistente. Finalmente nossa equipe foi reconhecida e chegou a hora da tão aguardada promoção… Mas eu não fui promovido. Todo mundo da equipe foi promovido, menos eu. Segundo meu chefe, não pude ser promovido porque não ainda eu não tinha o nível acadêmico necessário. Ou seja, não fui analisado pelos meus níveis de conhecimento e comprometimento. Enfim, continuo fazendo as mesmas coisas, até passei a fazer trabalhos mais avançados (que seria de um analista). Essa situação me desanimou muito, me sinto muito desmotivado, tanto que pretendo mudar de área. Na sua opinião, como um profissional deve agir nessa situação? Realmente vale a pena “se sacrificar” por este emprego? Como manter-se motivado e agradecido numa situação como essa?

    Abraço.

  • Resposta
    Lívia Bellot
    19/09/2016 em 08:54

    Nossa Fran faz um tempinho que eu não abro o blog, ando ” enrolada na vida” rs e de uns 4 meses pra cá ando chegando sempre uns 15 à 20 minutinhos atrasada no trabalho ( o que me gera um baita estresse logo de manhã, pois eu já saio de casa apavorada, já brigo sem querer com quem estiver pela frente e muitas vezes saio descabelada e ofegante, sem contar que chego no trabalho nervosa já e com medo de levar um esporro, o que não é legal né?) Então tem alguns dias que estou tentando me reorganizar, li seu post sobre “o desafio de subir a ladeira até o escritório” e ali percebi que podia me empenhar mais por mim mesmo. Como eu disse eu estou enrolada na vida, moro com meu namorado, tenho um gatinho lindo *.*, trabalho 9 horas por dia, faço faculdade a noite e não tenho minha família na cidade e.. não estou dando conta de nada! Mas depois das suas dicas resolvi tentar me reorganizar, esse fds foi o da faxina no apê e isso incluiu arrumar os armários e lavar as roupas sujas rs deu um trabalhão, passamos o sábado inteiro limpando e o Domingo em função de esperar a máquina lavar e estender as roupas, mas no fim do dia a sensação foi maravilhosa de verdade!
    Hoje acordei atrasada de novo :// e mais uma vez todo aquele estresse, sentei na cadeira, tentei me acalmar e.. abri seu blog e não acreditei quando vi esse post kkk exatamente pra mim na hora certa! Desculpe escrever tanto, rs, mas eu quero te agradecer pelo post e por tudo! Você não me conhece, mas me ajuda demais, acompanho o blog desde 2013, o livro foi meu manual de instruções quando mudei sozinha para o primeiro apê e eu amo o seu trabalho! Continuaaa pois você nos ajuda demais e posso dizer que muda sempre minha vida pra melhor.
    MUITO OBRIGADA ♥
    Adoro você!

    • Resposta
      Franciele
      20/09/2016 em 15:07

      Lívia, vá no seu tempo, não se cobre demais e o mais importante, se perdoe. A gente não consegue ser 100% perfeita a todo instante, pois é humanamente impossível. Faça as coisas com calma e veja o que você pode ir mudando na sua rotina para ir melhorando seu desempenho. Pequenos ajustes como ir para a cama mais cedo, ter uma lista de afazeres diárias… Tudo isso ajuda 🙂

      Mil beijos!

      • Resposta
        Lívia Bellot
        22/09/2016 em 08:54

        Muuuito obrigada pelo seu retorno e carinho Fran!
        Já estou me reorganizando e suas dicas são valiosas tem me ajudado demais!
        🙂
        Mil Beijos ;*

  • Resposta
    Marina
    17/09/2016 em 16:13

    Conhecendo hoje seu blog e adorando. Sobre o post, eu sou empresária e vejo o outro lado da situação. E concordo com você. Aquele funcionário que chega na hora, não falta, se interessa, tem muito mais chance de subir e até de continuar na empresa, caso precisemos fazer cortes.

  • Resposta
    Juliana Almeida Brito
    17/09/2016 em 11:38

    Nossa amei ter encontrado meio sem querer o seu blog, desde que li o primeiro post me apaixonei, tento por em praticas as suas dicas, principalmente sobre finanças. Continue escrevendo lindamente… Beijos

  • Resposta
    Carol Justo
    14/09/2016 em 00:33

    Adorei o post Fran. Fiz um curso de RH e posso garantir que quando a empresa é séria e tem uma administração descente isso é levado em consideração.
    Eu fiz um estágio em uma academia uma vez e eu era elogiada porque eu realmente trabalhava, eu focava no meu serviço. Meu antigo chef esses dias me ofereceu uma vaga para trabalhar em uma loja de piscinas que ele abriu, porque ele sabia que eu levo o trabalho a sério.
    Quando a gente faz um bom trabalho a gente é lembrada de maneira positiva.

  • Resposta
    Ana Claudia Fernandes
    13/09/2016 em 16:46

    Disse tudo. Também ando percebendo que se incentiva tanto o Jovem a cursar uma Faculdade, mas esquecem de lhe dizer , que sua formação no ensino fundamental, é realmente , fundamental quando competente e disciplinar na formação deste indivíduo.

  • Resposta
    Bruna WB
    13/09/2016 em 13:29

    Sempre pense sobre isso também, Fran, visto que trabalhei por algum tempo numa empresa jornalística na qual a competitividade entre os colegas de trabalho ficava muito evidente. Eu sempre fiquei na minha, fazendo o meu trabalho sem enrolar, e isso me proporcionava um tempo extra para desenvolver novas melhorias dentro da empresa. Esse foi um dos motivos pelo qual fui promovida em apenas 4 meses. Acredito muito que as coisas boas acontecem com pessoas também boas – as exceções, como as que você citou, não devem servir de base para moldar nossas atitudes, tanto no trabalho, quanto em quaisquer outras esferas da vida.
    Adorei a reflexão!
    Beijos,
    Bru
    http://www.moderando.com

  • Resposta
    Gabriela Dahmer Coitinho
    12/09/2016 em 19:00

    Eu tenho grandes problemas com atrasos, detesto eles. Se eu não chegar, no mínimo 15min de antecedência eu já me sinto muito mal. Meus pais sempre me ensinaram a ser pontual demais, e isso sempre contou muito nos meus trabalhos. Sem contar que eu sou daquelas que não falta, pode estar com a pior das gripes mas não falta, só em caso de cirurgia ou que eu tivesse risco de desmaio, aí não tinha jeito, mas acho que só faltei 3 vezes até hoje por isso. E mesmo que isso não tenha de fato ajudado muito na época, eu me sinto muito orgulhosa de mim mesma, pois sempre recebi grandes elogios dos chefes. Só não cresci pq não queria viver daquilo com que eu trabalhava.

    Amei a dica! E hoje em dia as pessoas precisam se conscientizar bastante disso.

    Beijos,
    Blog Gaby DahmerFanpageInstagramTwitter

  • Resposta
    Camila Garcia Da Silva
    12/09/2016 em 18:27

    Oi, Fran! Os posts daqui do blog serão os mesmo da #GirlGang?

  • Deixe uma resposta